Arquivo do dia: 10/12/2009

Uganda quer pena de morte a homossexuais


Foto: BBC para África

Lamentável que o preconceito aos homossexais ainda esteja tão presente em tantas partes do mundo.

Em Uganda, passou dos limites.

Um projeto de lei propõe impor a pena de morte aos gays no país.

Conforme a proposta, que ainda não foi aprovada, amigos e familiares de homossexuais podem ser condenados a até sete anos de prisão se não informarem a existência de gays às autoridades.

Até mesmo proprietários de imóveis poderão ser detidos por alugar casas para homossexuais.

A lei atual de Uganda condena à morte homossexuais ativos que tenham o vírus HIV e estupradores de mulheres.

O projeto de lei, que promove o ódio e o aumento da homofobia, seria parte de um movimento de oposição nacional contra o fortalecimento da comunidade gay africana, acreditam ativistas da causa.

“É uma questão de visibilidade”, disse à Agência Estado (AE) David Cato, que tornou-se ativista após ter sido espancado quatro vezes, preso duas, demitido de seu emprego de professor e exposto nos meios de comunicação porque é gay.

“Quando exigimos nossos direitos, eles aprovam leis contra nós”.

Segundo a AE, a medida foi proposta em Uganda após a visita de líderes cristãos conservadores norte-americanos que oferecem tratamento para que gays tornem heterossexuais.

Impressionante que um continente que tenha sido tão vilipendiado e desrespeitado repita erros deste tipo.

Para além da discriminação, incita o ódio e impede a prevenção e o combate à Aids.

Confira o que pensam outros países africanos sobre o assunto, conforme a Associated Press:

Nigéria: a homossexualidade já é punível com prisão ou morte. Considera aumentar as penas para atividades consideradas promotoras do homossexualismo.

Burundi: proibiu o relacionamento de pessoas do mesmo sexo

Ruanda: quer implantar a proibição.

Quênia: ser gay neste país pode significar até 14 anos de cadeia.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Atualidade