A crise, Angola e o Brasil


Esta é para quem pensa em ir a Angola.

Deu no jornal brasileiro Valor Econômico:

Crise angolana atinge empreiteiras

O governo de Angola reconheceu uma dívida de US$ 2 bilhões com empreiteiras

O governo de Angola, dependente em grande parte das receitas com petróleo, reconheceu uma dívida de US$ 2 bilhões com empreiteiras que prestam serviços no país. Além disso, exportadores não conseguem fechar operações de câmbio para repatriar receitas. A situação também afeta empresas brasileiras.

Grandes empreiteiras não comentam o assunto, mas fontes do setor confirmam que estão sem receber desde o começo do ano. Um executivo da área prevê que a construção civil em Angola levará ao menos dois anos para se recuperar e voltar ao ritmo de 2008.

Na Odebrecht, a empresa brasileira com maior presença no país africano, afirma-se que os pagamentos começam a ser retomados e os atrasos não levaram à suspensão de obras – apenas o ritmo de algumas foi reduzido. A imprensa local anunciou 3 mil demissões da construtora, mas, segundo a empresa, parte dos cortes ocorreu porque projetos foram concluídos. A construtora ainda mantém 30 mil pessoas empregadas no país.

E agora, José?

Anúncios

Comentários desativados em A crise, Angola e o Brasil

Arquivado em Atualidade

Os comentários estão desativados.