As mazelas da guerra


Prédio destruído pela guerra em Angola | Foto: Hilcelia Falcao

Prédio destruído pela guerra em Angola | Foto: Hilcelia Falcao

Tem fome, tem guerra, tem doença, tem tudo.

África é assim.

Mas no Brasil reverenciamos muito mais a cultura e a memória ancestral.

Ás vezes até esquecemos do quanto nossos ancestrais ainda precisam de nós no mundo de agora.

Por isto, faço questão de trazer para cá questões contemporâneas do continente.

Por isto, vou postar agora o link de Rodrigo Cavalheiro, um jovem jornalista brasileiro que está percorrendo a África e contando tudo num jornal daqui.

Por acaso, Angola é o mais recente post.

São cenas que em um ano em África, eu vi.

Cenas que me fizeram outra depois de ter ido lá.

Cliquem aqui e confiram o quanto as minas espalhadas pelo país ainda são um problema para a população angolana.

O Flagelo das Minas é o título do textinho que começa assim:

“A caminho da África do Sul, o país do Mundial, o repórter Rodrigo Cavalheiro testemunha as mazelas de uma Angola em reconstrução, mas ainda envolvida com a guerra civil e seus efeitos dramáticos Fernando Jorge leva o caneco à boca, mas não bebe o café. Pensa na melhor resposta possível e a encontra: – Bem feito, Este angolano de 46 anos escapou da guerrilha da Unita em fevereiro de 2002. Tinha as costas marcadas por 19 dias de chicotadas quando convenceu João a fugir junto. João era seu torturador.”

Anúncios

Comentários desativados em As mazelas da guerra

Arquivado em Atualidade, História

Os comentários estão desativados.