Salazar, o “coronel” de Portugal


Respondam rápido: quem foi esse cabra ai?

Sabem não?

Embora no Brasil ele seja um ilustre desconhecido da maioria desinformada do nosso país, trata-se de António de Oliveira Salazar, um estadista polêmico que até hoje divide opiniões em África e Portugal.

 O sujeito nasceu em 1889.

Era professor da Universidade de Coimbra e tornou-se deputado em 1921.

Sete anos depois, foi nomeado ministro das Finanças de Portugal. 

Em 1932, virou chefe de governo, cargo no qual permaneceu até 1968, à frente do chamado Estado Novo, igualzinho (pero no mucho) ao regime homônimo, mais ou menos da mesma época, implantado pelo nosso presidente Getúlio Vargas.

Em Portugal, também era um regime autoritário. Estabeleceu a censura e a polícia política.

Neste período prosperou nas colonias africanas o desejo de se libertar do jugo lusitano.

As medidas econômicas populistas salazaristas renderam-lhe certo prestígio em Portugal, mas não foram suficientes para apagar as marcas deixadas na África lusófona, conforme retratado no documentário da RTP cujos episódios têm sido postados aqui neste blog.

Só deixou o poder após cerca de 40 anos de ditadura, por motivo de doença.

Morreu a 27 de julho de 1970.

O resto vocês descobrem acompanhando a nossa (emprestada da RTP) série A guerra colonial.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em História

2 Respostas para “Salazar, o “coronel” de Portugal

  1. Hilcelia Falcão

    Recebi um comentário sobre este post cheio de palavrões. Por respeito aos leitores, não vou aprovar. Mas segue a resposta:
    Olá anônimo!
    Se você não sabe, cabra, no Brasil, é o mesmo que “cara”,
    expressão que utilizamos para nos referirmos a pessoa valente do sexo
    masculino.
    Da próxima vez, vê se posta algum comentário menos indelicado. Afinal, sou
    uma dama.

  2. Amadeu

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_de_Oliveira_Salazar

    Salazar foi sem duvida o POLITICO mais sério, honesto, honrado e Patriota, dentre os Governantes Portugueses depois da queda da Monarquia em 1910, por assassinato do Rei. (http://www.eb1-cacem-n1.rcts.pt/historia/monarquia.html) — (http://comunidade.sol.pt/blogs/olindagil/archive/2008/04/06/O-FIM-DA-MONARQUIA-E-A-IMPLANTA_C700C300_O-DA-REP_DA00_BLICA.aspx —) Portanto pese embora a conversa da treta de políticos adversos actuais, Salazar é hoje recordado e até desejado com alguma veemência. Em mais novo fui contra Si…hoje recebê-lo-ia de braços abertos.