Droga no avião


Aeronave da TAAG
Aeronave da TAAG

Esse episódio do guineense me fez lembrar outro que vivi, ano passado, mais ou menos em junho, numa das idas e vindas Rio-Luanda/Luanda-Rio.

Estava eu lá, bem bonita, dentro do avião da TAAG, à espera da descolagem, como se diz em bom português. Parecia que naquele dia ia ser tudo rápido.

Mas como não pode deixar de ser nos emocionantes voos para Angola, o senhor à minha frente começa a passar mal.

A esposa segreda pro vizinho ao lado:

– Ele tem medo de avião.

O passageiro parecia bem inquieto.

Até que surge a aerokota* e longos minutos depois o senhor é retirado da aeronave. Ia ser examinado pelo pessoal da Samu.

Corta.

O senhor sai e aí volta a aerokota com a informação. O senhor não ia poder embarcar pois estava tendo uma crise hipertensiva.

Foi aquele rebuliço, tiraram o cara, a mulher e os filhos, etc e tal…

Quando pensei que tava tudo resolvido. Que nada!

O comandante informa, com aquele sotaque português, que a Polícia Federal estava a fazer buscas no voo. Suspeita de tráfico internacional de drogas.

Ficamos duas horas no Galeão (aeroporto no Rio de Janeiro), naquela louca espera. Tempo suficiente para o cidadão hipertenso melhorar e voltar.

Bem. Só quando cheguei a Luanda descobri: tinha um cidadão, que não era o passageiro hipertenso (é bom que se diga), que estava levando cocaína na bagagem.

Foi preso e retirado do avião.

Mais um exemplo do quanto é comum esse tipo de crime envolvendo africanos no Brasil.

Obs*: aerokota = termo utilizado por alguns brasileiros para designar as comissárias de bordo da TAAG, que não são mais tão moças. Kota quer dizer mais velho em mangolê.
Anúncios

1 comentário

Arquivado em Atualidade

Uma resposta para “Droga no avião

  1. Nós Agentes de Segurança Socioeducativo de Minas Gerais, Brasil, estamos enviando a “Voz do Agente” no endereço http://www.agentesocioeducativo.blogspot.com que é nossa ferramenta de luta para valorização da categoria e efetivação dos direitos humanos no sistema socioeducativo.
    Mandamos um forte abraço.